X

Vampiros existem e talvez você trabalhe com um

Epa, mas calma aí, não estamos falando de vampiros que sugam sangue, se transformam em morcegos e não refletem em espelhos. Na vida profissional, principalmente, existem pessoas a quem podemos chamar de vampiros e, talvez, dizer que são tão nocivas quanto o personagem lendário de tantas culturas.

Os vampiros energéticos, ladrões de energia ou, simplesmente, pessoas altamente negativas estão sempre presentes no nosso dia a dia e, provavelmente, você convive e vai se lembrar de alguns.

Mas como identificar um vampiro? Ele só conversa com você para contar seus problemas e dizer sobre sua má sorte. No ambiente corporativo, ele reclama do que faz, reclama do ar-condicionado, da cadeira, do computador. Reclama do chefe, da empresa, da promoção que não recebeu. Não fala outra coisa a não ser seus problemas e sua desmotivação. Ele exige melhoras de tudo e não vê o lado positivo de nada. Ele critica destrutivamente tudo e todos e, quando vê algo de bom em algo ou alguém, deseja para si de forma invejosa.

O vampiro de energia no ambiente profissional nada mais é que uma pessoa tóxica que busca uma privada para vomitar sua energia negativa e desmotivação.

Como lidar com uma pessoa assim? Primeiro, tenha em mente que, talvez, ela não faça de propósito, mas seja apenas uma pessoa carregada de problemas querendo desabafar ou precisando de ajuda. Claro que isso não significa que você deve ser o colega benevolente que irá tomar os problemas dele para si ou emprestar os ouvidos para ele desabafar, até porque, isso pode contaminar seu humor e torná-lo uma pessoa negativa e desmotivada também.

Se você convive com uma pessoa assim e deseja ajudá-la de alguma forma, uma atitude simples pode ser boa saída: tente reverter o que ela lhe traz de negativo perguntando o que de bom ela tem extraído ou extraiu da situação, sem tom de julgamento, mas tentando fazê-la ver o lado positivo das coisas. E se sua disponibilidade para ajudá-la for maior, pergunte a ela o que você pode fazer para aliviá-la. Talvez o que ela precisa é simples para você.

Se isso não funcionou, se blindar e não se deixar ser usado como privada dessa pessoa é o próximo passo.

Tenha foco no que você acredita e pensa a respeito das situações que ela lhe trouxer, não se deixe contaminar pela desmotivação dela. Evite puxar assuntos que você já sabe que resultarão em reclamações – sabe aquele comentário sobre uma promoção do colega de trabalho? pois é, não faça para um ladrão de energia, pois existem grandes chances dele lamentar não receber uma promoção também e ainda destilar inveja. E por último, não deixe que essa pessoa adentre na sua vida, mantenha-o apenas como colega de trabalho, mas não o insira na sua vida pessoal ou em qualquer âmbito onde ele possa lhe conhecer melhor e lhe influenciar de alguma forma. É chato evitar ou cortar alguém do seu convívio? É. Mas melhor isso do que deixar que ele te transforme em alguém igual a ele.

Gostou do artigo?

Inscreva-se na nossa newsletter para receber mais informações, dicas e tendências sobre o mercado de trabalho e carreira.

últimas Postagens

Catho

Catho Online Ltda. CNPJ: 03.753.088/0001-00 Alameda Juari, 262 - Barueri, SP - 06460-090 Política de Privacidade

Gostou do artigo?

Inscreva-se na nossa newsletter para receber mais informações, dicas e tendências sobre o mercado de trabalho e carreira.

Fechar